Cachoeiro de Itapemirim

Escolher outra cidade
Notícias

Serviço de tratamento de esgoto de Cachoeiro de Itapemirim se destaca nacionalmente

27 de Agosto de 2020

 

Com 11 estações de tratamento em operação, município registra índices de 98% de coleta e tratamento de esgoto

A Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) lançou recentemente uma publicação que atualiza a base de dados de Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) no Brasil. O documento, que avaliou o panorama do esgotamento sanitário urbano de 5.570 municípios, mostra que entre 2013 e 2019 houve um aumento de 900 novas estações de tratamento no País, totalizando agora 3.668 ETEs em 2.007 municípios.
 
Apesar do avanço, somente 36% dos municípios possuem tratamento de esgoto, situação bem diferente de Cachoeiro de Itapemirim, que coleta 98,64% do esgoto gerado na cidade e trata 98,15%. Outro dado apresentado foi a média brasileira de atendimento da população urbana com sistemas coletivos de coleta e tratamento de esgotos, que ficou em 46,5% segundo a publicação. No Espírito Santo, essa média é de 48,8%.
 
“Os resultados apresentados no levantamento da ANA colocam Cachoeiro de Itapemirim muito além da média nacional e da média estadual quando o assunto é coleta e tratamento de esgoto, demonstrando o resultado positivo dos investimentos realizados nesses serviços”, afirma o gerente Operacional da BRK Ambiental em Cachoeiro de Itapemirim, Jocimar de Assis Alves.
 
O gerente destaca ainda que o número de Estações de Tratamento de Esgoto no Brasil possui uma relação de 1,83 ETE/cidade, enquanto Cachoeiro de Itapemirim possui 11 ETEs distribuídas na região central e em seus distritos.
 
“Em 1998, quando teve início a concessão dos serviços de água e esgoto em Cachoeiro, o serviço de tratamento de esgoto só atendia 5% das residências. Desde então, foram construídos mais 218 quilômetros de redes coletoras, coletores-tronco e interceptores, e 11 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) na sede e nos distritos”, assegura Jocimar de Assis Alves.
 
O diretor da BRK Ambiental, Bruno Ravaglia, avalia que o avanço no esgotamento sanitário de Cachoeiro refletiu em melhorias ambientais, na saúde pública e no desenvolvimento sustentável do município, ao viabilizar mais crescimento econômico e social.
 
“Hoje, tratamos uma média de 21 milhões de litros de esgoto por dia em Cachoeiro, que antes eram lançados no Rio Itapemirim. Notamos o retorno da fauna e da flora naturais da região em diferentes pontos do rio. O impacto positivo também veio na qualidade de vida das famílias, especialmente, àquelas que vivem às margens do Rio Itapemirim e dos principais córregos que cortam o município. Além de entregar os melhores serviços, entendemos que nosso papel é colocar a sustentabilidade no centro dos nossos negócios e atuação, estimulando o desenvolvimento equilibrado e constante”, finaliza o diretor.  
 
 

 

 

ACOMPANHE NOSSAS OBRAS, AVISOS E TUDO QUE ACONTECE NA BRK AMBIENTAL DA SUA CIDADE