Tratamento de Esgoto

 

Quando o contrato de concessão da BRK Ambiental teve início, em 2015, Sumaré contava com 95% de esgoto coletado e volume de tratamento de apenas 14%. Com os investimentos realizados, esse número mais que dobrou e hoje cerca de 30% do esgoto gerado na cidade já recebe tratamento. 

Uma conquista muito importante, que impacta diretamente no cotidiano da população, uma vez que os sistemas de coleta e tratamento de esgoto são fundamentais para prevenir a contaminação e transmissão de doenças. Hoje, 95% da população é atendida com o serviço de coleta.  

A meta para universalização do tratamento de esgoto, ou seja 100% de esgoto tratado, é para o ano de 2022.


Estações de Tratamento de Esgoto

A BRK Ambiental em Sumaré conta com 19 sistemas de tratamento de esgoto. A nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Tijuco Preto está em construção, e contará com a tecnologia holandesa Nereda, que vai aumentar a capacidade de tratamento de esgoto de 30% para 65%, beneficiando cerca de 115 mil moradores na cidade.

O uso da tecnologia Nereda apresenta muitas vantagens em relação aos tratamentos de esgoto convencionais. Ela necessita de uma área reduzida de implantação, tem baixo consumo de energia, reduz os odores e ainda aumenta a eficiência no processo de tratamento de esgoto.

Os tipos de tratamento que utilizamos hoje nas ETEs são:

  • Lodo ativado 
  • Reator RAFA (Reatores Anaeróbios de Fluxo Ascendente): processo biológico que tem a função de remover a carga orgânica presente no esgoto. São bactérias se alimentam da matéria orgânica presente no esgoto e fazem sua decomposição.
  • FAS (Filtro Aerado Submerso)
  • Filtro de areia

De acordo com o grau de tratamento exigido pelo corpo receptor, pode-se optar por um dentre os diversos processos de tratamento existentes. Os processos que mais utilizamos são chamados Sistemas Biológicos. Esses processos contam com três fases: 

► Tratamento Preliminar

Fase de preparação para o tratamento. Aqui, são removidos sólidos grosseiros, sólidos flutuantes, óleos e graxas e areia.

Nessa etapa, o esgoto pode passar por algumas estruturas: 

  • Grades, crivos, peneiras ou desintegradores, para remover os sólidos grosseiros.
  • Caixa de areia, para remoção de areia.
  • Caixa de gordura, para remoção de óleos e graxas.

Sistema de gradeamento da Estação de Tratamento de Esgoto Vila Flora, da BRK Ambiental em Sumaré


► Tratamento Primário

Fase do tratamento em que os sólidos em suspensão são parcialmente removidos. Após receber o tratamento adequado, a carga poluente é reduzida em 30 a 40%. 

Fazem parte desse tipo de tratamento: 

  • Decantadores primários, com ou sem adição de floculantes, que removem os sólidos em suspensão.
  • Digestores, que fazem o tratamento de lodo removido. 
  • Secagem de lodo. 
► Tratamento Secundário

Fase do tratamento em que, por meio da ação de microrganismos, é feita a estabilização parcial da matéria orgânica contida no efluente que saiu da etapa anterior, o tratamento primário. Nesse tipo de tratamento, a remoção da carga poluente do esgoto chega a até 98%.

Os processos mais adotados são:

  • Anaeróbios: Lagoas anaeróbicas, Reatores Anaeróbios de Fluxo Ascendentes (UASB).
  • Aeróbio: Filtração biológica, Lodos ativados, Lagoas aeróbias ou facultativas e Filtro Aeróbio Submerso (FAS). 

Sistema de desidratação do lodo da Estação de Tratamento de Esgoto Vila Flora, da BRK Ambiental  em Sumaré (SP)

 

ACOMPANHE NOSSAS OBRAS, AVISOS E TUDO QUE ACONTECE NA BRK AMBIENTAL DA SUA CIDADE